27 março 2010

Ponte de Safena: Quando será necessário o recall?


O coração é um órgão muscular oco que bombeia o sangue de forma que ele circule no corpo. Ao longo da vida de uma pessoa, ele bombeia aproximadamente 180 milhões de litros de sangue.

Quando uma das artérias do coração está bloqueada e uma pessoa tem um infarto, o procedimento comum a ser realizado é a cirurgia do coração, costurando uma ponte de safena sobre o entupimento.

Pesquisadores brasileiros começam a desvendar as origens de um fenômeno que limita a cerca de uma década a durabilidade de parte das pontes de safena: o entupimento, ainda que parcial, do implante de segmentos dessa veia retirada da perna usado para restabelecer o suprimento de sangue do coração, reduzido pelo acúmulo de placas de gordura no interior das artérias que o irrigam.

Em uma série de experimentos com ratos, em laboratório, o grupo vem descobrindo como fatores físicos alteram a programação das células de “veias submetidas às condições de funcionamento das artérias.” Essa reprogramação pode causar o espessamento excessivo da veia e o bloqueio da ponte de safena alguns anos depois da cirurgia de revascularização do coração”.

A pesquisa já resultou na identificação de várias proteínas envolvidas no espessamento dos implantes. Acreditam que com essa investigação, chegarão a proteínas que poderão ser usadas como indicadores da durabilidade da ponte de safena ou alvos para ampliar a eficiência do enxerto.

Em alguns anos, esperam produzir um teste genético capaz de predizer se o candidato à cirurgia apresenta tendência a desenvolver oclusão de safena e criar tratamentos para minimizar o problema.

A ponte de safena foi criada em 1967 ,pelo médico argentino René Favaloro, que revolucionou a cirurgia cardíaca.
Essa revolução não é perfeita e muitas vezes paga-se um alto preço por fazer uma veia, vaso especializado em transportes de volumes pequenos de sangue sob baixa pressão, funcionar como artéria, com fluxo cerca de dez vezes maior e pressão de 20 vezes mais elevada.
Essa mudança causa o espessamento exagerado das camadas internas do vaso, tendo como conseqüência a formação mais rápida da obstrução, exigindo a realização de uma nova cirurgia.

Existem resultados promissores, mas ainda serão necessários anos de trabalho até se obter um resultado genético capaz de indicar a durabilidade da ponte de safena.
Alterações na dieta, uso de medicamentos para baixar o colesterol ajudam. Vida sedentária, tabagismo, álcool, provocam problemas coronarianos que matam 7,2 milhões de pessoas por ano no mundo.

Pesquisa: International Journal of Experimental Pathology - Cardiovascular Research – Therapeutic Advances in Cardiovascular Disease.

Nenhum comentário:

WWF-Brasil

Que marcas você quer deixar no planeta? Calcule sua Pegada Ecológica.